Não existe acreditação em saúde sem planejamento!

Publicado em 12 de fevereiro de 2020, por Ana Giovanoni

Imagem representada por um desenho animado com alguns papeis, celular e café na mesa e uma mão segurando um tablet. Essa imagem diz respeito ao artigo: não existe acreditação sem planejamento, da Ana Giovanoni para o Qualidade para Saúde.

Recentemente falei sobre a relevância da liderança para a Acreditação em Serviços de Saúde no eBook “A importância das Lideranças no Processo de Acreditação”. Hoje quero falar sobre o planejamento estratégico (nunca é demais lembrar que quem define a estratégia da empresa é a alta direção) e essa estratégia só se concretiza por meio do planejamento!

            O artigo vai abordar, resumidamente, as etapas para formular e desdobrar estratégias demonstrando aspectos práticos deste processo e sua importância para uma gestão sustentável, afinal, é como a frase de Jorge Nobre diz:

“Quem não planeja, planeja o seu fracasso e quem planeja, planeja o seu sucesso!”

Planejamento Estratégico

            Quando a alta direção de uma organização comentar que planejamento estratégico é ultrapassado, porque “vivemos num país de muitas incertezas com cenários instáveis e por isto planejar é perda de tempo”, você precisa estar preparado para se contrapor a isso com unhas e dentes!

Mesmo diante de cenários instáveis, se sua organização se planejar, estará mais preparada para enfrentar estas incertezas. Além disto, o Planejamento Estratégico é um requisito exigido no processo de Acreditação, por exemplo, na seção I Gestão Organizacional, subseção 1.1 – Liderança Organizacional, no requisito 3 do nível I. No meu entender, depois da conscientização das lideranças de que a segurança e a qualidade são essenciais para alcançar a sustentabilidade na saúde, o primeiro passo para iniciar a implantação do programa de acreditação em saúde é o planejamento estratégico.

Como fazer o Planejamento Estratégico?

            A metodologia para elaboração do Planejamento Estratégico pode ser resumida em 2 grandes etapas: a primeira é a Formulação da Estratégia e a segunda é a Implementação da Estratégia.

Formulação Estratégica

            Na etapa de Formulação Estratégica, são realizadas as análises do macroambiente, análise do setor de atuação e análise do ambiente interno.

Na análise do macroambiente são pesquisadas informações sobre Cenário Econômico, Político, Social, Ambiental, Legal e Tecnológico. Compreender os cenários e tendências do segmento de saúde, tanto sob o ponto de vista das inovações tecnológicas, como dos aspectos sociais, ambientais e regulamentações que possam impactar na gestão do negócio.

Na análise do Setor de Atuação são pesquisadas informações sobre o mercado de atuação da empresa, concorrentes, fornecedores, clientes potenciais, tendências do mercado consumidor e inovações no setor.

Todas as pesquisas de informações do ambiente externo devem ser coletadas em publicações de revistas especializadas, centros de pesquisas, trabalhos científicos e fontes confiáveis, a fim de subsidiar as decisões estratégicas.

Na análise do ambiente interno, são consideradas informações sobre as partes interessadas, aspectos econômico-financeiros do negócio, análise dos processos internos, do clima organizacional, das práticas de gestão de pessoas, da governança corporativa, dos processos assistenciais, da segurança do paciente, da gestão de fornecedores, gestão de clientes e da gestão dos riscos de dentro da organização. É nesta análise que sugere-se incluir a verificação do atendimento aos requisitos da ONA, tendo em vista sua abrangência e visão sistêmica.

Definir ou revisar as diretrizes organizacionais

            Durante a Formulação Estratégica, também é o momento da definição/revisão das diretrizes organizacionais (missão, política da qualidade e segurança, visão, valores e princípios) e, a partir das análises realizadas pelas lideranças em relação ao ambiente externo e interno, elabora-se uma matriz SWOT, contendo oportunidades, ameaças, forças e fraquezas.

Se a empresa preferir, poderá utilizar outra ferramenta, como por exemplo uma matriz de quadrantes nos quais são relacionados os itens do ambiente externo favoráveis à empresa (oportunidades) ou desfavoráveis à empresa (ameaças). Aqui é fundamental identificar aspectos externos à organização. Por exemplo, qualificar as pessoas é uma ação e não uma oportunidade. Oportunidade é algo que está ocorrendo fora da empresa e que poderá favorece-la, como por exemplo, uma nova legislação que possa beneficiar o seu negócio. A lei da terceirização criada recentemente, por exemplo, é oportunidade ou ameaça para o seu negócio? Pode ser que sim, pode ser que não, pois vai depender do perfil da sua empresa e do contexto em que a mesma está atuando.

Esta matriz pode ser priorizada, posteriormente, utilizando a ferramenta GUT e correlacionando oportunidades e ameaças x forças e fraquezas, é o momento da definição da estratégia, que será o caminho escolhido pela empresa para concretizar a sua visão de futuro.

            O passo seguinte é definir o que fazer para exercitar a missão e realizar a visão, definindo os objetivos estratégicos e respectivas metas. Os objetivos serão desdobrados em planos de ações na segunda etapa.

Implementação da Estratégia

            A etapa de Implementação da Estratégia compreende o desdobramento dos objetivos estratégicos em projetos ou planos de ações detalhados, demonstrando o responsável pela execução, o prazo para conclusão da ação, onde a ação será realizada, como será implementada, por qual motivo a ação foi definida e qual o custo de implantação, enfim, um 5W2H mesmo.

É preciso ficar claro para os envolvidos qual a meta que queremos concretizar, em qual prazo e quem será o responsável pelo seu acompanhamento. Eu recomendo que você defina uma força tarefa para executar o plano, mantendo apenas um responsável pela execução. Este responsável exercerá sua liderança com os demais membros da equipe, engajando-os na execução efetiva das ações.

Engajamento da Liderança e o sucesso da implantação do Planejamento Estratégico

            Com uma boa avaliação do macroambiente e do ambiente interno, considerando as exigências da ONA e os aspectos fundamentais do negócio alinhados à estratégia definida pela alta direção, o processo de implantação da Acreditação em saúde fica muito fácil, pois será um compromisso da alta direção e das lideranças, que terão por desafio engajar os demais para que as ações planejadas sejam realizadas.

Engajamento da alta direção e lideranças é fator crítico para o sucesso da Execução da estratégia e internalização da cultura de qualidade e segurança em toda a empresa.

           Como eu disse no ebook, processo de acreditação em saúde que iniciar sem apoio da alta direção, provavelmente não terá sucesso. Além disto, se a alta direção delegar esta tarefa para um grupo de profissionais, mesmo que muito competentes, qualificados e comprometidos, sem apoio das lideranças, a implantação não será efetiva, pois não contribuirá com o desenvolvimento e internalização da cultura da qualidade na instituição.

Sem uma cultura da qualidade efetiva, as ações não durarão e a melhora da Qualidade será temporária, apenas em época de auditoria e olha lá! Lembre-se sempre, o aspecto fundamental deste processo é a melhoria da organização como um todo, aumentando os resultados financeiros, melhorando os processos e engajando profissionais num propósito único: Salvar Vidas!!!

Sobre o autor

Comentários

No Comments

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados