O que é Planejamento Estratégico para área da saúde?

Receba Nossa News

Os conteúdos mais legais sobre qualidade, semanalmente em seu e-mail

Todos os dados inseridos aqui, estão resguardados pela Política de Privacidade da ForLogic, totalmente adequada a LGPD e ISO 27001 (Segurança da Informação).

Catia Albuquerque

Catia Albuquerque

Muitos devem responder: reuniões longas, chatas e nada objetivas que “servem” para decidir uma série de ações sem fundamentos palpáveis e não muito claro aos participantes. Mas, ao contrário, o Planejamento Estratégico desenha onde a organização deseja estar daqui algum tempo (meses ou anos).

Enfim, o Planejamento Estratégico é o processo de elaborar a estratégia de uma organização para um tempo determinado. Lembre-se toda estratégia deve ter prazo e definição de como alcançar o que foi definido. Contudo, a alta gestão reconhece a sua situação atual e faz uma projeção de futuro, com métricas e valores desafiadores, porém necessários e alcançáveis.

Visão estratégica com foco na sustentabilidade da organização.

O Planejamento Estratégico funciona como um GPS. Primeiro precisamos entender onde queremos ir e depois calcular uma rota até o destino. Não dá para planejar uma rota sem saber aonde ir, mas também não dá para ir sem planejar uma rota.

Sem planejamento, a chance da viagem ou do trajeto dar errado é alta. Lembrando que, podemos ter desvios de rotas no caminho por vários motivos, ou seja ele não pode ser engessado, intocável. Ah! Também não deve ser elaborado somente  para o dia de uma visita de Acreditação ou Certificação. A proposta do Planejamento estratégico é  cuidar da sua organização, direcionando-a no caminho para onde se quer chegar mitigando todos os riscos do trajeto.

Desdobramento do Planejamento Estratégico.

Apenas uma definição não dá conta de toda a complexidade do que é Planejamento Estratégico. É preciso levar em consideração algumas características que estão implícitas no conceito, apresentado anteriormente, mas que merecem uma explicação mais detalhada.

Além de orientar estrategicamente de forma global, ele norteia especificamente diversas áreas ou processos como área financeira, marketing, gestão de pessoas, comercial, assistencial, entre tantas outras.

Os micro planejamentos, ou seja, os planejamentos estratégicos direcionados para os setores, devem ser guiados pelo Planejamento Macro ou Global. Isso se chama desdobramento do Planejamento Estratégico.

Caso a estratégia do setor comercial, por exemplo, esteja diferente ou com objetivos incoerentes ao Planejamento Estratégico Macro, certamente os objetivos não serão alcançados, podendo trazer prejuízos, atrasos, insatisfações, eventos não desejáveis, etc.

A opinião da equipe é essencial para um Planejamento Estratégico ativo e real.  Cada gestor sabe exatamente o que acontece no seu processo, as necessidades e desafios diários, então  a  Diretoria, CEOs ou responsáveis pela organização devem reunir sua equipe de gestores, que têm responsabilidades quanto aos resultados para elaborar e validar o Planejamento.

Dividindo o Planejamento Estratégico em fases:

Compreenda o cenário interno e externo do momento.

Use ferramentas para identificar, junto a equipe, os pontos fortes e frágeis da organização e como estão inseridos no mercado. Entenda os fatores internos e externos que podem impactar de forma positiva ou negativa a organização e os resultados pretendidos. Esse momento costuma assustar, mas na verdade o objetivo principal é compreender com clareza e objetividade, as ameaças e as oportunidades no mercado para crescimento e desenvolvimento.

Os fatores econômicos, tecnológicos, sociais e legais da organização, devem ser levados em conta.

Há várias ferramentas muito boas para esse momento de análise. Eu gosto muito da Matriz de SOWT, encontrada facilmente na internet. Segue abaixo um modelo de Matriz de SOWT.

análise swot para Planejamento estratégico

 

Análise de Desempenho

Com o máximo de informações relevantes em mãos, analise o desempenho do ano anterior ou de algum período anterior como: oportunidades perdidas, movimentações de mercado, da concorrência, produtividade das equipes, custos, receitas, eventos indesejáveis, entre outros.

Cultura organizacional

Caso a sua organização ainda não tenha identidade organizacional descrita e difundida como cultura, é o momento de criar e disseminar. Caso já tenha, é o momento de identificar se a missão, visão e valores  são de fato os valores ideológicos da sua organização e se são entendidos e seguidos pelos funcionários, sem distinção de hierarquia. Caso não, é o momento de realinhar.

Partes interessadas

Esteja sempre atento ao público alvo, pois o mercado está sempre mudando e consequentemente, o público também. As necessidades, os interesses e o comportamento do seu púbico estarão sempre alterando.

Métricas para Avaliação de resultados

Para um Planejamento Estratégico eficiente, defina metas claras e métricas para que haja como avaliar os resultados. Metas e objetivos devem ser claros, alcançáveis e com prazos bem definidos, lembrado que metas muito fáceis de alcançar geram comodismos e metas inalcançáveis geram frustrações. A meta deve ser desafiadora, mas viável e instigante, mesmo que seja a curto, médio ou longo prazo.

Análise Crítica

Se os gestores e diretoria não analisarem criticamente os resultados, esses indicadores serão somente gráficos expostos sem análise e sem tratativa e será um grande esforço de tempo e custo perdidos, caindo em descrédito. Explorar as potencialidades dos resultados e identificar os diferenciais e referências da organização é primordial para que o investimento de todos os esforços seja voltado neles.

Disseminação do Planejamento Estratégico

Após a realização e definição do Planejamento Estratégico, há a necessidade de disseminá-lo através de projetos ou planos de ação para cada processo envolvido.  A disseminação deve alcançar até mesmo o profissional operacional. Todos devem saber como fazer, quando fazer e qual o resultado esperado na execução de suas tarefas. Claro que cada hierarquia deve ter resultados e metas diferenciadas, porém sempre voltadas ao Planejamento Estratégico e Identidade Organizacional.

O Planejamento Estratégico não é apenas uma ferramenta  de controle ou supervisão, mas, sim de decisão  e quando necessário de mudanças seguras.

Muitos tomadores de decisões não gostam de “perder tempo” elaborando um Planejamento Estratégico, pois não compreendem o valor de elaborar e acompanhar um plano para o futuro.

Essa ferramenta é eficaz na compreensão das mudanças do ambiente externo e interno, pois auxilia no reconhecimento de problemas que podem surgir durante o trajeto e identificar oportunidades de melhoria.

O Planejamento Estratégico não é e nem pode ser uma ferramenta engessadora e sim uma facilitadora para tomada de condutas. Principalmente porque o mercado está em constante movimentação. Então deve:

  • ser reanalisado e revisado de acordo com as necessidades da organização.
  • estar interligado ao Comitê de Crise. Mas esse item é para uma próxima pauta.

Enfim, o principal objetivo do Planejamento Estratégico é garantir que os esforços da organização valeram a pena.

Planejamento Estratégico

 

“Planejamento é a base de tudo na vida pessoal e profissional” – Cátia Albuquerque

Se você  tem dúvidas de como fazer o Planejamento Estratégico ai na sua empresa, assista o Webinar:

Planejamento estratégico

Sobre o autor (a)

Deixe um comentário

Blog da Qualidade

Artigos relacionados

Banner vertical - webinar seja um auditor