Dificuldade em gerenciar e monitorar ações provenientes de metas não alcançadas.

Dificuldade em gerenciar e monitorar ações provenientes de metas não alcançadas.

Em qualquer organização e na vida pessoal uma coisa muito importante é ter metas. Quando pensamos em uma empresa onde os gestores não estabelecem metas podemos pensar em pessoas trabalhando sem foco ou direcionamento para suas ações; simplesmente cumprindo suas tarefas como algo mecanizado e não estruturado. Na vida pessoal acontece da mesma forma. Diariamente, pessoas se frustram por metas não alcançadas, sem refletir sobre o processo que liga a definição de uma meta à sua conclusão. E o processo é o fundamental para o resultado, independente da força ou desejo que se tem. 

As metas auxiliam pessoas a acompanharem o desenvolvimento de suas ações e identificar quais são os ajustes necessários durante o processo, para maximizar resultados. Sejam metas pessoais ou metas de trabalho, é sempre importante mensurar cada uma delas para ajustar os esforços necessários durante o percurso. 

Grandes metas exigem grandes esforços, e isso precisa ser considerado uma regra.

Porém, antes de qualquer coisa, é fundamental que os gestores não só estabeleçam metas, mas também analisem se elas estão de acordo com o potencial dos membros da equipe e de outros recursos disponíveis. 

Quando ao final de um trabalho ou de um determinado prazo nos deparamos com metas não alcançadas, é necessário analisar ou rever as etapas do processo para identificar as falhas e limitações, bem como efetuar ajustes necessários.

Ao lidar com metas não alcançadas, gestores se deparam com um árduo caminho na identificação de quais partes do processo não foram bem estruturadas ou apresentaram falhas. Também é necessária a análise das ações de cada colaborador para entender onde cada um pode ter falhado ou não ter assimilado as orientações sobre o plano de ação, ou não ter compreendido de forma clara suas funções.

Quando falamos em metas pessoais, onde os resultados dependem na maior parte de uma única pessoa, a identificação das falhas é algo mais simples e passível de reestruturação. 

Se uma meta estabelecida por uma pessoa é comprar um carro até o final do ano, e no fim do prazo identifica que não conseguiu, é possível fazer o processo inverso para identificar em quais pontos houve falhas ou mal planejamento. A partir daí é possível aproveitar os acertos e reajustar o que não saiu como esperado, redefinindo um novo prazo e dando continuidade no plano de ação para alcançar a meta.

O que fazer nas organizações onde metas dependem de muitos colaboradores (e fatores) e por alguma razão essas metas não alcançadas? 

Antes de qualquer coisa é necessário compreender que existem algumas características a serem seguidas para que uma meta seja alcançada:

Especificar

A primeira delas é especificar, deixar bem claro o que se pretende atingir, e compartilhar essas especificações com todos envolvidos no processo. 

Mensurar

Em seguida é necessário mensurar a meta e definir se o tempo que se pretende alcançá-la é suficiente ou não. Esses ajustes permitem que sejam traçadas metas realistas, claras e atingíveis, de acordo com os recursos humanos e físicos disponíveis, favorecendo engajar toda a equipe de trabalho.

Plano de ação

Quanto mais específica cada uma das ações necessárias para o alcance de uma meta, mais fácil se torna a identificação das possíveis falhas que não permitiram o sucesso. E quanto mais detalhadas são as ações para se atingir uma meta, mais fácil se torna fazer ajustes para evitar resultados indesejados. 

Replanejamento

Outro fator que muitas vezes dificulta o gerenciamento de falhas no processo de alcance de metas é não considerar que algumas mudanças podem ser feitas ou descartar a possibilidade de remanejar membros da equipe para outras funções.

Mesmo que uma equipe seja formada por pessoas com total capacidade de alcançar metas, algumas vezes ocorre que certos colaboradores poderiam estar contribuindo de forma mais eficaz em outros locais ou atividades. 

E é um erro muito comum de gestores acreditar que o plano de ação não pode ser ajustado e que deve permanecer até o fim. Essa ideia equivocada pode trazer resultados terríveis e impedir que, mesmo à longo prazo, a meta seja alcançada.

Comunicação

Outro fator que dificulta o gerenciamento de ações provenientes de metas não alcançadas é não solicitar feedback sobre a compreensão que cada membro da equipe tem sobre o seu papel para alcançar uma meta.

Muitas vezes gestores cobram resultados, mas se esquecem de verificar se toda a equipe está engajada e de acordo com o papel que vai desempenhar. O diálogo é fundamental para o sucesso e para criar uma equipe de aliados da empresa, onde cada um participa de forma ativa na busca de soluções para os problemas, dando sugestões e não sendo apenas responsabilizados por falhas.

Metas individuais x metas da equipe

Outra questão importante é considerar que antes de estabelecer metas para uma equipe de trabalho é necessário analisar as metas individuais de cada um. Se exigirmos resultados de uma equipe sem analisar se de maneira individual as metas estão sendo alcançadas ou não, provavelmente não teremos resultados positivos. 

O resultado é reflexo do desempenho das partes. E, por isso a identificação de falhas nas partes do processo, bem como identificar e auxiliar cada membro da equipe nas suas dificuldades faz com que cada um possa se desenvolver dentro do que for necessário para oferecer o seu melhor.   

Conclusão

Portanto, metas são fundamentais para conhecer o potencial tanto de uma organização quanto de seus membros. Sem metas, uma empresa ou pessoa também pode obter resultados positivos, porém não será possível compreender até que ponto pode se desenvolver e medir seu potencial. 

Quando temos um processo bem estruturado e com objetivos claros e definidos, o desempenho individual e da equipe será mais satisfatório e permitirá um melhor monitoramento dos erros e acertos por parte dos gestores.

Idealizado por Forlogic | www.forlogic.net
Saiba mais sobre qualidade em 
https://ferramentasdaqualidade.org/
Conheça nossos softwares:
Gestão da Qualidade 
https://qualiex.com/ | Gestão da Metrologia https://metroex.com.br/FestQuali

Luiz Henrique Pelissari

Luiz Henrique Pelissari, Bacharel em Psicologia, especialista em Gestão de Pessoas e Neuropsicologia. Ajudo pessoas a ter saúde mental e qualidade de vida, para conquistar seus objetivos e viver livres da ansiedade, depressão e outros transtornos mentais.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.