MANUAL ONA 2018: prazos e impactos da revisão

Publicado em 5 de junho de 2019, por Ana Giovanoni

imagem de um calendário sendo marcado de acordo com os prazos do Manual ONA 2018

O Manual Brasileiro de Acreditação desenvolvido pela ONA (Organização Nacional de Acreditação) foi revisado e lançado em janeiro de 2018, com o propósito de torná-lo mais prático, bem como facilitar o entendimento dos requisitos pelos profissionais que atuam na sua implementação dentro das organizações prestadoras de serviços de saúde.

O novo Manual recebeu a chancela da ISQUA (Sociedade Internacional para a Qualidade do Cuidado em Saúde), o que significa dizer que a metodologia e os padrões de qualidade da acreditação ONA são reconhecidos internacionalmente, mantendo-a entre as melhores acreditadoras do mundo.

Principais prazos para atualizar a certificação na nova versão

As organizações que estavam em processo de implantação da acreditação no período do lançamento do novo Manual tiveram prazo até junho de 2018 para certificar-se na versão 2014.

A partir de julho de 2018, as organizações de saúde, ao solicitarem a Acreditação, devem atender aos requisitos da versão 2018 do Manual.

Para as empresas que já estavam acreditadas na versão 2014, o prazo para recertificação no novo manual varia de acordo com o nível da certificação:

  • para as empresas Acreditadas no Nível I e II, o prazo é de 2 anos;
  • para as empresas Acreditadas no nível III, o prazo é de 3 anos;
  • Vale ressaltar que esses prazos (2 ou 3 anos) são considerados (contados) a partir da data da última certificação.

Nova estrutura e novas NAs (Normas Avaliadoras)

Esta nova versão do Manual tem sua validade até 2022 e ele continua dividido em seções e subseções, porém reorganizadas e submetidas a mudanças para facilitar o entendimento dos requisitos por parte das organizações, dos seus profissionais e da equipe avaliadora.

Além disso, o conteúdo do Manual contempla Normas Avaliadoras (NA) para diferentes tipos de serviços e na nova versão foram incluídas 2 Normas Avaliadoras: NA para Serviços Oncológicos e NA para Serviços de Medicina Hiperbárica.

Ao todo, o novo Manual contempla Normas Avaliadoras para 10 tipos diferentes de serviços de saúde. A publicação do Manual está disponível para aquisição no site da ONA.

Principais impactos da revisão do Manual ONA 2018

Muitos requisitos que estavam subentendidos na versão 2014, agora estão formalmente descritos na versão 2018.

Por exemplo, o Protocolo de Reconhecimento de Sinais de Deterioração Clínica é um item cobrado em todas as avaliações, inclusive nas avaliações anteriores à nova versão, e isto não estava descrito em nenhum requisito da versão antiga. Agora, este item está explícito na versão 2018.

Um outro exemplo refere-se à Gestão de Pessoas, na qual seus requisitos não contemplavam de forma clara a abrangência das práticas aos profissionais médicos, o que está mais evidenciado na nova versão.

Com a clareza e facilidade na interpretação dos itens, evidencia-se um impacto positivo sob o ponto de vista das organizações de saúde se desafiarem a implementar o processo de acreditação de forma autônoma, com a sua equipe interna e sem contratação de empresas terceirizadas para apoio neste processo.

Outro aspecto positivo é o nivelamento conceitual entre os avaliadores das entidades acreditadoras, pois os requisitos ficaram explícitos e objetivos, facilitando a uniformização do nível de exigência. Ou seja, a partir de agora, todos os avaliadores cobrarão os mesmos itens, de maneira uniforme e padronizada, o que facilita o processo de acreditação e garante maior confiabilidade a esse processo.

Manual ONA 2018: mais clareza no processo de acreditação

O Manual da ONA é um instrumento educativo que pode ser utilizado pelas organizações como um guia para nortear a estruturação do sistema de gestão de forma a contemplar os aspectos mais relevantes para a qualidade da assistência e segurança do paciente, tendo como principal impacto a excelência da experiência do cliente.

Considero a nova versão do Manual um guia para facilitar a implantação de um sistema de gestão com foco na excelência para as organizações de saúde.

O Manual 2018 tem uma linguagem clara, objetiva e que facilita a interpretação dos requisitos avaliativos, podendo ser um instrumento para aperfeiçoamento do sistema de gestão, melhoria da qualidade dos serviços prestados, mais segurança para o cliente e processos interdependentes e integrados com foco na excelência. Além disto, é um processo contínuo que exige dedicação, persistência e disciplina da liderança para obter o resultado de Organização Acreditada.

Sobre o autor

Comentários

No Comments

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados